Blog

10 passos definitivos para conseguir seus alunos online

10 passos definitivos para conseguir seus alunos online

  • Escrito por Administrador
  • professorparticular,aulaparticular,marketingparaprofessores,aulaonline
  • 13 de setembro de 2018

INTRODUÇÃO

Olá, sou o Lucas Carvalho, sou professor de violão e tenho uma escola completamente online de música. Dou aula há cerca de 6 anos e de lá para cá aprendi algumas coisas que me fizeram evoluir como professor. Porém, foi em 2017 que decidi me focar em estudar o que um professor precisa fazer para ter sucesso em sua profissão.


Eu sempre amei dar aulas. Porém, eu sempre tive que ter outros empregos paralelos e até cursava uma faculdade por não ver perspectiva de crescer financeiramente e me sustentar com o que eu amo fazer. 

Felizmente, tudo mudou pelo conhecimento. Estudei muito sobre ensino, comecei a refletir muito sobre o processo didático. Consumi livro após livro de marketing, li diversos ebooks sobre técnicas de venda e passei horas a fio assistindo aulas na Internet sobre marketing em redes sociais. Executei estes e outros passos pondo sempre em prática o conhecimento adquirido, errando, identificando o erro e
tentando novamente.

Depois disso consegui alunos o suficiente para largar meu emprego e a faculdade para me dedicar a isso. A partir daí comecei o projeto da minha escola de música completamente online.
Descobri o que era o sucesso como professor. Não se trata necessariamente de ganhar muito dinheiro e ter muitos alunos. Se trata de atingir o seu objetivo, seja ele qual for. Para alguns, uma quantidade razoável de alunos e uma renda extra, para outros muitos alunos e faturar muito dinheiro. E para todos, propagar o seu conhecimento.


Depois de estudar muito sobre esse assunto percebo que muitos professores - com raríssimas exceções - acabam se sentindo frustrados por não conseguir a quantidade de alunos que desejam, ou até não conseguem manter os alunos que tem.


Então iniciei o Projeto Professor de Sucesso e decidi passar para meus colegas professores tudo aquilo que aprendi e que vejo o quão útil é para nossa profissão. Assim, vocês não precisam gastar a quantidade de tempo e dinheiro que gastei para se tornarem professores de sucesso.


PS: Se você está aqui mais focado na parte de marketing e formas de adquirir alunos pode pular direto para o capítulo 4. ;)

1 - ORGANIZE SEU CONTEÚDO PARA ATRAIR SEUS ALUNOS


Antes de tudo precisamos pensar em algo que vai te ajudar tanto a conseguir alunos quanto a fazer com que eles fiquem com você, além de aprender o que você quer ensinar. Parece óbvio, porém muitos professores, inclusive alguns bem experientes em suas áreas, não pensam nisso.

Primeiramente vamos pensar no conceito de currículo. Currículo é, de maneira simplificada, seu objetivo com o aluno. O conjunto de conceitos e técnicas que ele deve dominar com as suas aulas.


Acredite em mim, você pode ser professor de matemática, inglês ou piano, mas, na prática, o que vc vai ensinar não é matemática, inglês ou piano. Na prática, você ensina bháskara, verbo to be e acordes. Esta definição de o que você vai ensinar que define o seu currículo.


Isso é muito importante entender, pois tem como ensinar matemática sem ensinar bháskara, ensinar inglês sem o verbo to be e ensinar piano sem ensinar acordes. Devemos separar o macro do micro.


Pense comigo, você ensinaria inglês para um adolescente que quer fazer um intercâmbio na Inglaterra em 4 anos do mesmo jeito que um arquiteto que vai trabalhar na filial da sua empresa dos Estados Unidos em 1 ano?


No exemplo acima temos duas variáveis: tempo disponível e o objetivo do aluno. 

Ser um pianista, fazer faculdade de música e ser conhecido internacionalmente por suas composições ou ele pode querer aprender apenas o básico que faça com que ele consiga acompanhar a sua voz com o piano e gravar vídeos para a internet. Entende como currículo das suas aulas vai mudar
dependendo do objetivo do seu aluno?


Por isso algumas áreas do conhecimento acabam se subdividindo, como, por exemplo o inglês funcional (o inglês focado para determinada profissão).


Isso é muito importante na hora de conseguir alunos e fazer com que eles fiquem com você. 

Agora te proponho uma reflexão: se você quisesse fazer um curso de culinária para cozinhar para seus filhos recém nascidos, você iria preferir um curso de culinária ou um curso de culinária para alimentação de recém nascidos? Provavelmente você iria preferir o curso específico, e não o genérico.


Quem é genérico no que oferece acaba não conseguindo nada e fica para trás.


Se você define, com base nos seus alunos, um objetivo bem específico, você consegue definir um currículo de qualidade. Se você define o currículo, você deve construir seu método de ensino com base nele.


Prestar atenção nisso é entender seu aluno e entregar a ele o que ele quer receber, ao invés do que é mais confortável para você.


Quando fizer isso, o aluno vai se sentir acolhido, vai te valorizar e não vai mais querer parar de ter aulas com você. Mesmo que ele não perceba conscientemente, ele vai te ver como a pessoa certa a dar aula para ele e você se tornará insubstituível.


Isso vale para novos alunos também. É muito mais fácil de conseguir alunos quando se entende isso. Você não precisa necessariamente se limitar a dar aula apenas para pessoas com esse ou aquele objetivo. Porém, deixando sempre claro que você tem configurações de aula para cada objetivo, se
tornar adaptável e flexível, junto com seu mercado.


Com toda a certeza esse tema rende livros inteiros - aliás, já rendeu muitos livros -, mas dando a devida atenção a estes conceitos básicos, você já se destaca dentro do seu ramo.


2 - NÃO FIQUE PARA TRÁS, USE O GOOGLE PARA PESQUISAR SOBRE SEU MERCADO E SEU ALUNO


Depois de refletirmos um pouco sobre currículo e método, vamos conversar sobre a pesquisa. E isso é para todos, não importa há quantos anos você já dá aula, você precisa continuar pesquisando.


O mundo digital mudou tudo, seu aluno tem acesso a internet e você também, não ignore isso. Como ela pode te ajudar?
Primeiramente vamos começar com algo bem simples, como pesquisas no Google. Duas coisas que você deve estar sempre pesquisando são métodos de ensino da sua área e interesses das pessoas sobre seu tema.


Isso é necessário por mais que você saiba tudo sobre o que você ensina sempre esteja se aprimorando. Repare que eu não me refiro a aprimorar no tema, como aprender uma gramática super avançada no inglês, aprender uma matemática que só se ensina no ensino superior ou aprender músicas super
complexas no piano.


Pelo contrário! Isso vai te ajudar bem menos do que estudar aquilo que você realmente vai ensinar para seu aluno. A menos que seu aluno queira ser um super pianista ou um gramático da língua inglesa, não tem o porquê você estudar coisas complexas. Lembrando mais uma vez de sempre considerar quem busca o seu conhecimento.


Estude de forma profunda o simples. Estude muito aquilo que você mais vai ensinar para seus alunos. Estude muito o seu método de ensino. Pense ele, planeje, repense, aplique, pense novamente. E onde o Google entra nisso? Pesquise os outros professores.


Assista a muitas aulas (quanto mais melhor), veja e absorva o que você encontra de bom e tome cuidado para não cometer os mesmos erros dos seus colegas. A internet tornou tudo mais fácil, assim você pode conhecer o método de ensino de muita gente de graça e sem precisar se deslocar.


Em relação ao conteúdo que você vai ensinar, utilize o Google para descobrir os assuntos mais pesquisados Conheça as dúvidas recorrentes dos alunos interessados na sua área, entenda o que eles mais querem aprender sobre o seu assunto. No violão, as pesquisas mais recorrentes são relacionadas à dedilhar, solar e tocar músicas específicas. Assim fica fácil de saber o que meus alunos de violão mais buscam.


Não estou dizendo que você deve ensinar só o que eles querem. Mas sim que na hora de construir seu método e planejamento você deve levar em consideração o que eles querem. Até para mostrar para ele que você está trabalhando para que ele atinja os objetivos.

“só é um bom ensinante quem é um bom aprendente” - Mario Sergio Cortella


3 - DESCER DO PEDESTAL - OS ERROS DE UM PROFESSOR VAIDOSO


O título pode parecer duro, mas todos nós professores temos que lutar com o nosso lado vaidoso todos os dias e focar no objetivo maior: ensinar.

O exercício de ensinar é um constante processo de humildade. Primeiro é importante saber que o seu jeito de ensinar, apesar de ser lógico para você, não funciona para todos. Então, sempre que seu aluno não entender algo tente novamente com outra perspectiva pensando novas maneiras de explicar um mesmo assunto. Aí vale lembrar de métodos de outros professores, mesclar esses métodos com o seu, criar novos métodos a partir do zero e sempre dar muitos exemplos e usar metáforas.


Um dos principais erros dos professores é ensinar apenas do jeito que foi ensinado. Isso não é, normalmente, a melhor opção para seu aluno. Primeiro porque os tempos mudam (tem boas chances de o jeito que você aprendeu já esteja ultrapassado), segundo porque o objetivo do seu aluno é diferente do seu objetivo na época que você aprendeu e, terceiro, você não é o professor que te ensinou a anos atrás, logo por que imita-lo? Supere-o!


Outro erro que observo em professores é demonstrar conhecimento ao invés de ensinar.

Isso ocorre, por exemplo, quando o professor começa a jogar informações complexas, em geral definições e conceitos avançados, em um aluno iniciante. Ainda mais quando esse aluno vai demorar anos para dominar esses conceitos. Pior ainda quando esse aluno jamais irá precisar desse conhecimento para atingir seu objetivo. É um desastre! O aluno vai se sentir mal, desconfortável e desestimulado. Desta forma, você pode fazê-lo desistir ou trocar de professor.


Eu sei que por trás de coisas muito simples existem conceitos e lógicas muito complexas. Porém, mesmo que você tente ensinar para o seu aluno coisas complexas demais, ele não vai aprender, e, se aprender, não vai lembrar.


Não estou dizendo para ser superficial no seu ensino. Ensine de maneira profunda e completa, mas apenas o que é útil e quando for o momento. Selecionar o conteúdo correto, no momento correto é explicá-lo do jeito correto é o que devemos sempre almejar como professores.


Para isso devemos abandonar nossa vaidade. A aula se trata do aluno, dos conhecimentos dos aluno. Onde ele está e onde ele quer chegar. Esqueça o que você sabe ou o que você quer que seu aluno saiba. Pense no que o aluno sabe, o que ele quer aprender e a maneira mais eficiente, simples e direta
para fazer o aluno atingir o seu objetivo.


E de jeito nenhum você ter muito conhecimento na sua área te torna automaticamente um ótimo professor. Organização é tudo, ainda mais quando você tem muitos alunos ou turmas. Planejar também é um ato de respeito e demonstração de preocupação com a aula. Não é necessário seguir seu planejamento de forma rigorosa, é recomendável até fazer grandes alterações dependendo da situação. A aula planejada não é uma aula roteirizada. Planejamento se modifica e se adapta estrategicamente, roteiro apenas se segue.


Sendo assim podemos determinar três passos básicos na hora de ensinar alguém ou uma turma: Currículo, didática (e/ou método) e planejamento. Defina o objetivo, como você vai atingi-lo e planeje o processo.


4- SETE FORMAS DE CONSEGUIR ALUNOS - A SÉTIMA É A QUE EU MAIS USO


Não adianta saber ensinar muito bem e não ter pra quem ensinar. Naturalmente, nós queremos que nosso conhecimento seja transmitido para o máximo de pessoas possível. Então, como fazer isso?


Existem muitas formas:


Indicação

A primeira delas é a indicação - o famoso boca-a-boca -. Sem dúvida, essa é a forma mais natural. Quando você cria um conjunto grande de alunos e ex-alunos satisfeitos é muito natural que eles te indiquem.


Porém, isso demora e depende de você ter alunos. Logo, não serve para professores iniciantes. Outra questão é que você tem pouco ou nenhum controle sobre isso. Eventualmente podemos tratar sobre as formas de estimular isso.

Marketing Tradicional

A segunda delas é o marketing tradicional. Digital ou não, o marketing tradicional é aquele que você coloca um anúncio em algum lugar (banner, outdoor, tv, rádio, Facebook, Google, etc) escrito: ‘’aulas de inglês’’. Eu pessoalmente não gosto desse tipo de marketing por não considerar ele muito eficiente.
E não importa se você colocou uma foto criativa, um texto criativo ou um design muito bom. Sabe por que? Todos já estamos acostumados a ignorar esse tipo de marketing, esta é a dura verdade.


Marketing de conteúdo

A terceira é o marketing de conteúdo. Esse marketing é muito praticado hoje em dia e demonstra muita eficiência. É praticamente a evolução da famosa aula experimental. Você ensina algo pela internet, ou seja, dá conteúdo gratuito. Quando você ensina algo de graça para alguém as chances dessa pessoa se tornar sua aluna é muito maior por 3 motivos:

1 - Autoridade - Você vai provar, através do ensino, que você domina a sua área de conhecimento e também domina a arte de ensiná-la. Assim, você se tornará uma autoridade no assunto perante os olhos dos seus alunos.


2 - Reciprocidade - A partir do momento em que você começa a interação com as pessoas interessadas pelo seu conteúdo a partir de conteúdos gratuitos, elas se sentem gratas e dispostas a retribuir naturalmente. Essa retribuição pode vir através da indicação ou interesse no seu conhecimento (sem dúvida muito maior do que se te conhecesse por meio de um anúncio incômodo e de pouco impacto).


3 - Conexão - Quando você disponibiliza algum conteúdo para ser consumido você gera uma conexão com quem consumiu. As chances de alguém que está conectado com você consumir mais conteúdo e/ou tornar-se seu aluno é muito grande, ainda mais se esse conteúdo for gratuito e de qualidade.


Marketing de Relacionamento

O marketing de relacionamento é aquele em que, antes de oferecer a sua aula, você procura se relacionar com a pessoa. Simples assim, você consegue o contato de alguém e conversa com essa pessoa. Por quê? Porque é muito mais fácil você oferecer a sua aula para alguém que te conhece do que para um desconhecido. Simples assim. Esta conversa, é claro, deve ser guiada pelos princípios vistos no primeiro passo, visando o que seu público quer alcançar e o que quer evitar.


Como? Whatsapp, e-mail, messenger do facebook, direct do instagram, etc.


O problema nesse caso é como conseguir o contato dos seus possíveis alunos e o que conversar com eles. Mas isso trataremos mais adiante neste texto. Um fator muito importante aqui é a qualidade deste relacionamento. Criar uma conversa em oferecer aulas e promoções pelo contato do seu público não é marketing de relacionamento, é só um incômodo para as pessoas que você quer conquistar.


Inbound Marketing

Ninguém gosta de ser interrompido. Você está olhando seu filme na tv e... propaganda! Você clica em um vídeo no Youtube e... propaganda! Você está descendo o feed do Facebook e... propaganda! O Inbound Marketing é o oposto disso. Essa linha do marketing defende justamente que não devemos interromper o nosso possível aluno para vender algo. A decisão de olhar a nossa propaganda deve ser dele e não nossa. Isso é possível? Sim! É possível e eu vou te ensinar nos próximos capítulos.


Marketing de Diferenciação

Atualmente você pode ser aluno de qualquer pessoa do mundo que esteja disposta e te ensinar. Logo, como você pretende competir com tanta concorrência? Como você concorre com os outros professores mais antigos e “consagrados” da sua cidade ou bairro? Por que o aluno vai escolher ter aulas de ballet com você e não com a escola com 30 anos de tradição e uma professora com uma formação superior a sua?


O que te deixa único, diferente do restante?

O marketing de diferenciação responde todas essas perguntas. Você não disputa diretamente com seus concorrentes. Você se diferencia deles com suas
características.

O Marketing Monstro

Obviamente esse nome não existe, mas acho ele engraçado e muito representativo. O marketing monstro é aquele que une todos os anteriores nos pontos mais positivos de cada um. Ou seja, se relaciona com seu possível alunos através de conteúdo gratuito, faz com que ele se interesse por sua oferta não
precisando interrompê-lo com propaganda, bolando sua apresentação para seu público de forma a se diferenciar dos concorrentes. Depois de tudo isso, entrega um produto tão bom e cria promoções que incentivam a indicação - o boca-aboca.


PS: O único marketing que o monstro não usa é o tradicional.

Por quê? Porque não vejo benefícios em usá-lo. Pronto! Simples certo? Brincadeira, sei que não é simples. Mas calma, estou aqui para te ajudar. Leia os próximos capítulos que as coisas ficarão mais claras.

5 - USE AS REDES SOCIAIS PARA NÃO SER INVISÍVEL


Atualmente, você não existe sem uma presença forte nas redes sociais. Exatamente, você não existe se você não é achado no Google, se você não tem uma página no Facebook e Instagram. Como confiar em um professor que não se encontra na Internet? Não tem como!


E outra, de que adiantam banners, placas e outdoors se quem quer e precisa do seu conhecimento não está ali para ver? Todos os olhos estão nos celulares e computadores. E quem não é visto, não é lembrado, portanto você precisa estar onde os olhos dos seus alunos estão.


Além disso, as redes sociais são campos especialmente confortáveis para as pessoas, onde elas estarão dispostas a se relacionar e a consumir conteúdo. Desta forma, você precisa se relacionar com seu futuro aluno e fazer com que um destes conteúdos que ele olha seja o seu.

Esteja na Internet! Mais especificamente nas REDES SOCIAIS.


6 - 11 DICAS DE COMO USAR AS REDES SOCIAIS

Aí o assunto é longo, porém vamos a algumas dicas fáceis de pôr em prática agora mesmo:


Utilize uma página e não um perfil pessoal


Isso é um consenso: você deve se preparar para ser visto como um(a) especialista na sua área, não como uma pessoa comum. Quem acha que está fazendo marketing digital com seu perfil pessoal está muito enganado. Faça agora sua página.


Não publique apenas anúncios


Ninguém quer seguir uma página que apenas tenta vender o tempo todo. Exemplos são anúncios, promoções, descontos, e outras formas de ofertas. Posts de venda devem ser exceções entre as publicações da sua página.


Não fale apenas de você na página


Essa é a diferença da página para o perfil pessoal. A página se trata do interesse de quem está seguindo. Logo, não fique postando coisas da sua vida a menos que seja útil ao teu futuro aluno. Se o que você postar não for útil e pensado para agradar seus seguidores, é melhor não postar.


Publique conteúdo!


Se você quer vender ensino, comece ensinando através da Internet, mais precisamente das suas redes sociais e em vários formatos (video aula, textos didáticos, ebooks, podcasts educativos, etc). E é claro, de forma totalmente gratuita. Pode parecer estranho, mas com isso você ganha muito mais do que algumas simples vendas. Além de te ajudar a construir uma base de audiência para o seu conhecimento, o conteúdo é a melhor maneira de ser visto na internet, afinal, é justamente o que as pessoas procuram. A internet é utilizada, diariamente, para fazer cada vez mais perguntas. Basta você entregar a resposta sem pedir nada em troca para começar uma relação de confiança e admiração com quem você quer atingir com seu conhecimento. 

Por último, mas não menos importante, não se preocupe em ceder muito do seu conhecimento por dois principais motivos: 

1) As pessoas, além de conteúdo, compram organização deste conteúdo, o que só você pode fazer da melhor forma. 

2) Como foi dito anteriormente, um professor de sucesso deve sempre se atualizar e buscar novos conhecimentos. Desta forma, você nunca vai ‘’entregar todo o seu conhecimento’’, tendo em vista que o aprendizado nunca se esgota.


Se relacione pelas redes


Comente, converse, pergunte e responda. Onde? Nos comentários dos seus posts do face, comentários das fotos no instagram, inbox do face, direct do instagram, nas próprias postagens (experimente postar uma pergunta aos seus seguidores). Feedbacks são essenciais para melhorar qualquer trabalho, e ao mesmo tempo fazem com que a sua audiência se conecte muito mais rapidamente com você.


Utilize as maneiras de conseguir alunos do capítulo 4


Sim, todas as maneiras de conseguir alunos do capítulo 4 você pode e deve aplicar nas redes sociais. Como? Exatamente como eu expliquei nos tópicos anteriores, todas elas cabem e são mais efetivas em redes sociais.


Um pássaro na mão é melhor que 2 voando


É melhor utilizar uma rede social muito bem e de forma constante e consistente do que querer estar em todas e se perder no processo. É muito importante conhecer as suas limitações e trabalhar com elas inicialmente. Sendo assim, pense em trabalhar inicialmente com uma plataforma mais acessível para você e em um ritmo constante, seja ele com maior ou menor frequência. O importante aqui é que sua audiência saiba onde e quando te encontrar. Boas opções
para iniciantes são Youtube, Facebook e, dependendo do seu alvo, um blog cai bem também. Conquistando seu espaço em uma rede social, expanda para a próxima.


Invista dinheiro


Assim como você provavelmente investiria em estrutura física, em conhecimento ou até mesmo na identidade visual da sua marca, todo professor deve investir na máquina que alimenta seu negócio e que conecta seu produto com seu público consumidor. Desta forma, você deve investir em tráfego online, preferencialmente o pago. Tráfego é basicamente o público que se interessa pelo que você tem a oferecer, e as maneiras de guiá-lo até você são diversas. Neste capítulo, focaremos na forma paga de alcançar este objetivo (mais eficaz na minha visão e de acordo com a minha experiência).


Quando se utiliza a internet para alcançar seu público, é muito difícil ter resultados satisfatórios sem investir dinheiro. É como dar um tiro no escuro para acertar quem você precisa atrair. Não sei você, mas eu particularmente valorizo muito o meu tempo, então não gosto da ideia de esperar sentado minha audiência me enxergar. Ao invés disso, eu invisto em tráfego pago. Desta forma, eu coloco as redes sociais para trabalharem ao meu favor, da forma que eu escolher. E não se preocupe, este investimento pode ser muito menor do que você imagina. Plataformas como o Facebook Ads permitem investimentos de até mesmo R$1,00 por dia em uma campanha específica, que apenas será cobrado a partir do momento em que alguma pessoa clicar no seu anúncio. Uma boa métrica para analisar os resultados da sua campanha é o CPC (Custo por Clique). Apesar de investir em tráfego pago ser acessível, porém, é importante deixar claro que quanto maior o seu investimento, maiores as chances de resultado. Particularmente recomendo que não tenha medo de investir mais em alguma campanha que se mostrou promissora com investimentos menores.

É melhor feito do que perfeito


Sim, sei que é cliché, mas eu vejo muitas pessoas atrasando sua entrada nas redes por priorizar um design profissional para imagem de perfil e capa do Facebook, comprar uma câmera profissional para gravar os vídeos do YouTube e etc… Neste ritmo você vai demorar um ano para conseguir seu primeiro
aluno pelas redes sociais. Faça as coisas de forma simples e rápida para aperfeiçoar com o tempo. Com a simplicidade se alcança mais resultados do que qualquer um imaginaria.


Estude muito, mas pratique mais

Aposto que você sempre dá sermões para seus alunos de como eles devem estudar para atingir seus objetivos. Se você quer se tornar um professor de sucesso, estudar é uma parte fundamental do processo! Mas nunca somente o que você vai ensinar e como você vai ensinar (que tratamos no capítulo 1 e 2). Todo o conhecimento que você tem para compartilhar não servirá de nada sem estudar marketing nas redes sociais. Porém, mais que estudar você deve pôr em prática o que você aprende. Certamente você encontrará muito conteúdo nas suas pesquisas, mas nunca se esqueça de aplicar a teoria simultaneamente com os seus estudos. Faça, erre e tente novamente até dar certo.


Pense sempre na construção de audiência


Nas redes sociais muitos costumam supervalorizar números como seguidores no Facebook, inscritos no youtube, etc… Porém muito mais importante do que isso é construir uma audiência. Pessoas que consomem seu conteúdo. Como se mede isso? Visualizações dos vídeos até o final, cliques em links para seu blog, comentários nas postagens, etc… Fuja das métricas vaidosas como alcance, curtidas, e visualização simples, elas te dizem muito pouco e te deixam no escuro sobre quem é o público que consome seu conteúdo. Utilizando o tráfego pago, mencionado anteriormente, você tem acesso a ferramentas específicas para enviar seu conteúdo para a sua melhor audiência. Claramente, a melhor forma de construir uma audiência grande e fiel é produzindo conteúdo informativo de qualidade.


7 - CONSTRUA UMA LISTA - É O QUE SEPARA OS COMUNS DOS BEM-SUCEDIDOS


Sim, as redes sociais são incríveis e é ótimo de conseguir alunos por elas. Mas tenho que te contar uma coisa: elas não são suas. Sim, o Facebook não é seu, logo, você não tem controle sobre ele.


Então, se você construir todo seu marketing apenas pelas redes sociais provavelmente vai dar certo. Porém, toda vez que você quiser vender terá que pagar. Afinal, o Facebook se sustenta com investimentos em tráfego.


Quem sai na frente faz um marketing buscando o contato das pessoas fora das redes sociais. Isso mesmo, estou me referindo ao whatsapp e e-mail. Se você tiver uma forma de contato limpo com seus possíveis alunos, o poder é todo seu.


Com o contato direto dele você pode manter uma relação muito mais próxima, e, para vender será muito mais fácil e, gratuito!


Porém, a lista pode ser um tiro no próprio pé se você esquecer do que foi tratado anteriormente neste guia e utilizar do contato direto da sua audiência para fazer ofertas e mais ofertas. Esqueça o que você quer dizer e lembre do que ele quer ouvir. Se não, esteja pronto para ser bloqueado e colocado na lista de spam.


Como eu consigo o contato dos meus futuros alunos?


Existem duas maneiras clássicas:


Você pode simplesmente oferecer conteúdo rotineiro em troca do contato da sua audiência, lembrando que até dicas simples e rápidas podem agregar valor para alunos.


Ou você pode utilizar de uma isca digital. O que é isso? É um conteúdo exclusivo e denso, algo mais elaborado e longo do que você costuma postar nas redes. Esse conteúdo você vai trocar pelo e-mail e/ou whatsapp da sua audiência. Para uma isca digital funcionar, ela precisa de duas coisas fundamentais. A primeira é ser atraente, o que pode parecer óbvio (já que se trata de uma isca), mas o processo de deixar um conteúdo atraente é longo e requer tentativas, tendo como
primeiro passo descobrir o que sua audiência quer. Após certo tempo produzindo conteúdos e analisando seus resultados, fica bem mais fácil de entender que tipo de informação é mais desejada. E a segunda é chegar até a sua audiência, já que não adianta nada ter o melhor conteúdo do mundo, se ele não
chega até ninguém. Para isso, é válido utilizar o tráfego pago citado anteriormente.


O que eu faço com esse contato?


Se relaciona de forma mais direta, sem intermediários. Mande para sua lista de contatos o mesmo conteúdo das redes sociais além de links dos seus vídeos no youtube e dos seus textos do blog.


Conteúdos exclusivos também são bem válidos como textos direto no e-mail e vídeos curtos ou áudios no whatsapp.

O importante é estabelecer uma relação próxima. Sem, é claro, perturbar as pessoas da sua lista com anúncios/ofertas/promoções o tempo todo. Até mesmo o
conteúdo não pode ser diário. Se não, logo logo a pessoa vai encher o saco de você.

Com a lista, sempre que você quiser conseguir mais alunos será muito mais fácil.

Existe alguma ferramenta que me ajude a gerenciar esses contatos?

No e-mail, que é uma forma mais “clássica” de criação de lista, existem muitas e confiáveis - é só pesquisar ferramentas de automação de e-mails -. No whatsapp, o próprio aplicativo disponibiliza uma ferramenta de lista de transmissão, porém é muito limitada e sem um décimo das possibilidades do e-mail.
Por ser muito mais recente, o relacionamento por whatsapp marketing ainda está sendo estudado e aprimorado.


Para uma captura mais automática dos contatos existem ferramentas também. Mas é claro que você pode fazer tudo manualmente em uma planilha ou doc de texto.


8 - NA HORA DE VENDER…. TEXTOS PERSUASIVOS! SE NÃO, NADA VAI ADIANTAR


Chegou a hora de vender.


Você já deu conteúdo gratuito e atraiu as pessoas. Com esse conteúdo você gerou uma audiência que vê em você uma autoridade no seu assunto. Depois disso você capturou o contato de grande parte dessas pessoas e criou uma boa lista. Relacionou-se tanto com sua audiência quanto com a sua lista. Agora é a hora de oferecer algo para essa galera.


Aulas em turma, aulas particulares, workshops presenciais, workshops online, palestras, etc… tudo que você imaginar é possível vender no mundo online.
Porém, a coisa vai ser mais efetiva se você utilizar as palavras certas nos momentos certos. Assim, você estará fazendo uma comunicação persuasiva.
Existem o que chamamos de armas da persuasão ou gatilhos mentais. São estratégias clássicas, testadas e muito praticadas no marketing em geral. Existem muitos, mas aqui eu vou tratar de alguns mais específicos.


Reciprocidade


Esse gatilho mental eu já tratei quando falei de marketing de conteúdo no capítulo 4. Ele ocorre pois as pessoas tendem a retribuir algo que receberam gratuitamente e de qualidade. Logo, quando você for oferecer algo na Internet, ensine algo antes, gratuitamente, simples assim.


O conteúdo gratuito vai servir para isso também. Mas mesmo assim, no próprio vídeo de venda ou texto de venda ensine algo.


Por exemplo: ensine para a pessoa três grandes fatos históricos que viraram filme. E no final, venda um curso sobre história a partir de filmes.


Afinal, informação de qualidade sobre nossos interesses ainda é a melhor forma de chamar a atenção da sua audiência, vendendo ou não.


Escassez


Quando você vai abrir vagas para aulas particulares, abrir uma turma nova, um workshop, ou qualquer outro produto, deixe claro o limite de vagas. E diga que não pode exceder esse limite de jeito nenhum, por isso os interessados devem garantir rapidamente suas vagas.


Estipule também uma data limite de número de n inscrições. As pessoas vão sempre deixar para depois se souberem que a qualquer momento podem se inscrever.


Se for um workshop ou algo que necessite muita antecedência e/ou muitas vagas, crie lotes com benefício - não necessariamente descontos, mas benefícios -. Ou seja, para os primeiras X pessoas ou até a data tal você ganha esse bônus ou esse desconto.


Esses são os dois tipos de escassez mais usados, de número de vagas e de tempo.


Você provavelmente reconhece essa metodologia dos anúncios e ofertas do marketing tradicional. Disso podem ser tiradas algumas conclusões. As duas principais, ao meu ver, é a de que este gatilho mental específico já serviu bem muitas empresas e a de que ele pode ser utilizado de diversas formas
em diferentes tipos de marketing, portanto seja criativo.


Aprovação social

Quando algo é consumido por muitas pessoas a tendência de confiarmos nessa coisa é muito grande. Afinal, como tanta gente pode estar errada?


Esse gatilho mental pode ser usado com números grandes e não específicos como: “todos os grandes profissionais dessa área utilizam essa determinada técnica”.


Mas também pode ser usado com uma quantidade limitada de pessoas com nível grande de detalhe, como: “Maria, tem 48 anos e é enfermeira, tem um filho de 3 anos para cuidar, assim, sempre achou que seria impossível realizar seu sonho de dançar ballet, e com esse determinado método, foi possível”.


Melhor ainda quando é a própria pessoa, em vídeo, contando a sua história. Assim, você pode usar os seus casos de sucesso de alunos para auxiliar nas vendas, o que gera autoridade e agrega valor ao seu produto.


Se deu certo para outros, é muito mais fácil da sua audiência acreditar que vai dar certo para ela. Simples assim.


Comunicação


Mais do que ouvir as pessoas querem ser ouvidas. Isso é muito natural e ao mesmo tempo algo que pulsa em nossos tempos contemporâneos. Muita informação, pessoas falando, pouca gente querendo ouvir. Quando encontramos alguém que sabe ouvir ficamos felizes e mais conectados.


Então, antes de oferecer um produto, que tal fazer uma pergunta e realmente ler e interagir a partir da resposta? Afinal, ninguém quer conversar com quem já tem respostas prontas e genéricas.


Esse gatilho mental é mais aplicável na comunicação direta. Logo, no processo de venda das suas aulas, antes de oferecer algo, fazer perguntas e realmente se interessar pelo que seu público tem a dizer faz toda a diferença.


Se, por exemplo, você quer dar aulas de teatro, que tal perguntar se a pessoa já tentou atuar antes, o que fez ela se interessar pelo assunto, se ela é uma pessoa tímida, se gosta de assistir peças de teatro, etc.


A pessoa vai se conectar com você. E, com certeza a interação com você será mais leve e suas chances de conseguir um aluno, bem maiores.

9 - NA HORA DE VENDER… QUEBRE AS OBJEÇÕES E ELES NÃO TERÃO DESCULPAS


Com certeza o seu conhecimento é muito almejado por muita gente. Essas mesmas pessoas sempre dizem, inclusive para você, que desejam aprender o que você ensina. E provavelmente logo depois de dizer isso elas te darão uma desculpa.


Eu conheço muito bem isso. Todos sempre dizem pra mim frases como: ‘’Sempre quis tocar violão’’; ‘’Um dia até comprei o violão ‘’Acho tão lindo quem toca violão, queria muito aprender’’.


Porém, logo depois vem: ‘’Pena que eu já passei da idade; ‘‘Pena que eu não tenho tempo’’; ‘’Pena que eu não levo jeito’’, ou outras frases do gênero.


Isso é o que chamamos de objeções. E você precisa quebrar cada uma dessas objeções se quiser conseguir muitos alunos.


Como se quebra essas objeções? Existem duas principais maneiras:


1 - Casos de sucesso: Resultados reais que alunos seus já alcançaram na mesma situação do público que carrega certa objeção. Por exemplo, utilizar meus casos de sucesso com pessoas idosas que aprenderam violão quebra as objeções de possíveis alunos mais velhos. Esta ação conecta até mesmo sua audiência com seus casos de sucesso, que serão usados de inspiração.


2 - Lógica: Caso você ainda não tenha casos de sucesso para situações específicas, utilize do seu conhecimento para invalidar qualquer objeção. Outra opção é fazer seu produto já visando certas objeções, como criar um curso de menor duração para quem afirma não ter tempo.


Pronto, você vai deixar a pessoa sem desculpas. Agora ficará muito mais fácil para torná-la sua aluna.

10 - TÉCNICAS PARA FIDELIZAR SEU ALUNO


Pronto, agora sabemos como ensinar e como conseguir alunos. E o que faremos para que eles continuem nas nossas aulas? Como fazemos para que eles nos recomendem para todos seu conhecidos? Como fazemos para eles se apaixonarem pelas aulas e até queiram mais?


Seja humano


A primeira dica que eu posso dar é, seja um humano e não uma entidade ou instituição. Seja pessoal com seu alunos, trate-o como você trata um conhecido seu, ou até um amigo. Não estou dizendo para forçar uma simpatia, pelo contrário, não force uma relação formal. Aja naturalmente, conte histórias suas do cotidiano, pergunte sobre o cotidiano do seu aluno.


Isso vale para todos os níveis. Das redes sociais - utilize das redes sociais também para mostrar um pouco do seu lado ‘’fora das aulas’’, conte uma história pessoal sua durante um vídeo ou texto, converse sobre algo um pouco mais aleatório de vez em quando. Assim você cria afeição nos seus seguidores. É importante ressaltar aqui que toda interação deve ser pensada sob os olhos da sua audiência, como suas histórias pessoais ou seu lado mais pessoal podem impactar naqueles que te acompanham.


E para alunos particulares ou em turmas presenciais: tire alguns minutos, podem ser bem poucos, para perguntar sobre o dia dos seus alunos, contar algo engraçado que aconteceu naquele dia com você ou até bater um papo de elevador e comentar sobre o clima.


Talvez até, no processo, você criará grandes amizades. Fica a dica.


Entregue sempre mais


Seja algo a mais para o seu aluno do que um professor comum. Entregue mais do que você prometeu na hora de vender. E depois de um tempo entregue mais do que seu aluno está acostumado a receber de você.


Estou me referindo a ensino mesmo, mas de maneira mais ampla. Exemplos: entregue uma apostila para seu aluno; compartilhe para ele um texto sobre o assunto que vocês trabalharam; se disponibilize para tirar dúvidas por contato direto; se for aula particular, o dia em que a aula estiver fluindo, se estenda um pouco mais; grave vídeos de conteúdo extra, ou outras medidas que agreguem valor à sua aula e ao seu produto.


Não estou dizendo para fazer exatamente essas coisas acima. Mas te desafio a colocar no papel 10 ideias viáveis de maneiras de entregar a mais para meus alunos. Escolha 2 e ponha em prática já! Você vai ver que eles ficarão mais satisfeitos. E, a longo prazo, resultados consideráveis vão surgir.


Busque seu diferencial


Isso é muito importante tanto para o marketing quanto para suas aulas. Eu quero que você me explique de maneira clara, por que você faria aula com você mesmo e não com qualquer outro professor da sua área no mundo. E a resposta não pode ser qualidade. Até porque qualidade é o mínimo, estamos
buscando seu diferencial.


O diferencial deve se encontrar tanto em características importantíssimas - como o método e currículo de ensino da sua matéria - quanto em pequenas características suas - como como se veste, fala, age, e coisas que se acentuam em sua personalidade (se acha que esses detalhes não fazem diferença, reveja urgentemente seus conceitos).


O seu grande diferencial e seus pequenos diferenciais fazem você ser insubstituível.


CONCLUSÃO

A proposta deste texto é ser uma introdução à vários temas que considero essenciais para um professor de sucesso. Logo, em diversos momentos tive que me conter à tentação de escrever páginas e páginas sobre um determinado tema.


Quero, assim, instigar a reflexão, pesquisa e estudo. Quero deixar claro que estou a disposição para ser uma fonte de pesquisa sobre todos os assuntos aqui tratados, inclusive para indicar referências sobre os temas abordados para ampliar seus estudos em áreas específicas.


Nas redes sociais do Projeto Professor de Sucesso será disponibilizado muitos conteúdos sobre esses e outros assuntos. Sempre em busca do nosso sucesso como professores.


Você não vive dizendo para seus alunos estudarem? Então chegou sua hora. Para ser um professor de sucesso você precisa estudar. Mas cuidado para não ficar paralisado pelas informações. Mais do que estudar você precisa pôr em prática os conhecimentos adquiridos. Estude 10% do seu tempo e ponha em prática nos outros 90%.


Não sei onde você está nessa jornada de ser professor. Alguns estão começando agora, alguns já começaram há anos e querem mais alunos para sua renda extra e outros ainda querem realizar seu sonho de se dedicar apenas a atividade docente, e, assim, viver do que ama e ganhando um dinheiro justo pelo seu trabalho.


Digo pra vocês que eu já estive nesses três lugares. Hoje eu me considero um professor de sucesso. O que é sucesso pra mim talvez não seja para você, porém uma coisa é certa: nada melhor do que nos sentirmos realizados e valorizados em fazermos o trabalho que amamos fazer.


Acredito que você possa atingir esse ponto da realização, seja qual for ele. Utilizando essas técnicas você é capaz de conseguir muitos alunos e que paguem um preço justo, entregar um ótima experiência de ensino e assim, mudar a vida deles junto com a sua.

Texto retirado do e-book "10 passos definitivos para conseguir seus alunos online", escrito por Lucas Carvalho.

-------

E aí, gostou dessas dicas? Que tal começar agora a se destacar para seus alunos? Cadastre seu perfil e suas aulas no nosso site e seja encontrado por quem procura por suas aulas.

#ProfessorParticular - Todos os Professores Particulares da sua cidade em um único portal. Todas as matérias. Encontre, entre em contato e combine sua aula direto com o professor.


Voltar para os posts